Análise Ergonômica do Trabalho

A Análise Ergonômica do Trabalho (AET), é um método de avaliação sistematizada que busca identificar a qualidade da interação do trabalhador com os elementos constituintes de seu trabalho.

Os objetivos da AET, além de identificar os possíveis contrangimentos do trabalho - fatores que interferem no desenvolvimento das habilidades e competências dos trabalhadores, e que possam implicar sobre sua saúde e segurança do trabalhador - tem como objetivo fundamentar ASSERTIVAMENTE as adaptações/modificações das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, a fim de garantir saúde e segurança no trabalho, e refletindo positivamente para um melhor rendimento e estabilidade do processo produtivo da sua empresa.

A AET, enquanto método sistematizado de avaliação da relação homem-trabalho-máquina-ambiente, é estabelecida por uma metodologia própria e específica da ergonomia que busca identificar, a partir das dimensões físicas, cognitivas e organizacionais do trabalho, condições que impliquem negativamente sobre a saúde do trabalhador e/ou à eficiencia produtiva da empresa.

Análise Ergonômica e NR 17

A Norma Regulamentadora 17 (NR 17), que recebeu o nome de Ergonomia, isso porque, foi fundamentada pelos princípios da Ergonomia, tem na AET o método válido e indicado pelo MTE para avaliar as condições de trabalho e qualificar a interação do trabalhador com o seu trabalho.

Assim, determinada a sua real importância, tanto para o trabalhador como para as empresas, o MTE através de NR 17, subitem 17.1.2, estabeleceu aos empregadores o DEVER da realização da AET para avaliar o equilíbrio das relações homem, trabalho e produtividade.

Aspectos Legais da Análise Ergonômica do Trabalho

Conforme determinado na NR 17, é dever de todo empregador realizar a (AET) para avaliar se as condições de trabalho de suas empresas estão adequadas às características de seus trabalhadores [NR 17, subitem 17.1.2], e que a falta da adaptação do trabalho aos seus trabalhadores, bem como a falta de avaliação das mesmas, são passíveis de penalidade, as quais podem variar entre R$ 1.000,00 (Mil Reais) à quase R$ 500 mil (Quinhentos Mil Reais), conforme as irregularidades.

Contudo, a falta de condições adequadas de trabalho não deve se analisada apenas pelos aspectos da passividade de multas/ações/indenizações trabalhistas, mas pelo o QUANTO o empresário está perdendo de eficiência em seu sistema produtivo, uma vez que, a relação saúde-segurança-desempenho poder-se-ia beneficiar a cadeia produtiva de toda a empresa.

Laudo Ergonômico do Trabalho

Laudo Ergonômico do Trabalho, comulmente confundido com a AET, ou vice versa, o Laudo Ergonômico é um documento pericial realizado por um perito do trabalho com a finalidade de investigar irregularidades ergonômicas que podem estar associado à causalidade de um problema de saúde do trabalhador.

Não se assuste se álguem que não seja um Juiz do Trabalho*, lhe pedir um Laudo Ergonômico, este é um erro conceitual comum nesta área. Na realidade o que ele deseja é a AET.

*Entenda que o Laudo Ergonômico é um relatório emitido pelo períto/auditor do trabalho, nomeado por um Juiz do Trabalho, a fim de identificar possíveis relações entre a doença de trabalhadores com as condições de trabalho.